Palavra do Ministro

por nov 18, 2011Notícias0 Comentários


Você tem medo quando? Do quê? De quem?

No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor (1 João 4.18).

Morte, doença, desemprego, pobreza, relacionamentos, ministérios, família, compromissos, estresse, e outros tantos são fatores desencadeantes do medo.

Ser incompreendido, criticado, rejeitado, autoestima baixa são fábricas de temores e fobias, que a-vassalam a vida de praticamente todas as pessoas até mesmo as mais equilibradas e espirituais.

Creio que o apóstolo João se referia a muitos desses tipos de medos, por isso receita o amor como solução ao temor e não a coragem, a bravura ou o domínio de sentimentos.

Por que o amor seria capaz de lançar fora o temor? Como o amor pode conceder confiança e coragem? Ou mesmo produzir capacidade de vencer o medo e as fobias da vida? Faça uma especulação no capítulo quatro de 1ª João, se possível faça do livro todo. Compartilho aqui algumas deduções dos ver-sículos a seguir:

E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. Nisto é perfeito o amor para conosco, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos nós também neste mundo. No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor. (1 João 4.16-18).

É interessante que para João o amor parece ser o vínculo de relacionamento com Deus e não a fé. É claro que para conhecer e amar uma pessoa acredita-se na sua existência, e é o amor que define o quanto podemos estar ligados um ao outro. Como não temos porque duvidar do amor de Deus para conosco, que está comprovado, resta-nos aperfeiçoarmos o nosso amor para com Ele. O amor de Deus leva-nos ao extremo da confiança de que até mesmo no dia do juízo seremos identificados como propriedades familiarizadas de Deus.

“No amor não há temor”(!) Se aceitamos que o amor de Deus é pela graça não há o que temer, pois se fomos contemplados pela salvação “estando espiritualmente mortos”, nas palavras de Paulo, por que temer? Pois nada pode nos separar do amor de Deus, que é nosso, em Cristo Jesus.

Carinhosamente,

Pr. Ramão Borba Moreira

Anderson Solano

Anderson Solano

Publicitário, chefe do departamento de comunicação social e gestor de TI.

0 comentários

Enviar um comentário

Posts Recentes

× Como posso te ajudar?