Valorizando e cuidando da nova geração

por ago 6, 2013Notícias0 Comentários


Mensagem proferida no encontro de celebração anual em Dourados -MS
Provérbios  22: 6    Marcos 10: 14   Deut. 6: 4-12

Introdução Estamos diante de dois verbos importantes: valorizar e cuidar. 1.Valorizar a nova geração é dar mais espaço para as crianças, jovens e adolescentes para desenvolverem suas vidas em todas as áreas: social, financeira, sentimental, eclesiástica, profissional e acadêmica e espiritual.Todos os dias nos deparamos com nascimentos de bebês de pais despreparados para a tarefa de valorizar a nova geração e cuidar deles. Valorizar a nova geração é transmitir o que temos de melhor. Afirmam alguns estudiosos que a infância é o período mais importante da vida humana. 

2. Cuidar da nova geração – é demonstrar – lhe amor no ensino da palavra, é pensar na tarefa de conduzi-los a Cristo, na certeza  que é uma responsabilidade intransferível dos pais, pois além de serem uma herança dada pelo próprio Senhor, precisamos cuidar para terem um crescimento forte, bonito e saudável ( Sal. 127:3). Gosto de pensar na infância como época da semeadura, pois é a fase da vida em que a palavra dos pais tem todo o valor e autoridade. Também gosto de imaginar o cenário em que crianças eram trazidas por seus pais, mães ou amigos para serem abençoadas por Jesus. Para os discípulos Jesus não podia perder tempo. Atender as crianças não era perda de tempo, não era desperdício. Jesus se indignou admoestando os discípulos que parassem de impedi-las. As crianças faziam parte de seu pastoreio. Ninguém pode entrar no Reino de Deus se não se fizer como crianças (Marcos 10:14).

Por uma nova geração mais feliz  na era do computador e dos demais avanços tecnológicos, ainda é necessário uma família cuja filosofia de educação se encontre com as verdades bíblicas, como garantia que quando a criança é treinada, estimulada e ensinada nas verdades de Deus, mesmo na velhice jamais se desviará delas (Prov. 22:6).


Como cuidar da nova geração?

A Bíblia nos mostra dois maravilhosos exemplos de pessoas  que souberam cuidar da nova geração. 

a. – O privilégio de ser mãe – Loíde recebeu das mãos do Senhor uma preciosidade, Eunice, sua filha, e como uma mulher que amava o Senhor,  ela legou à sua filha verdades espirituais que foram transmitidas às gerações seguintes.

b. Privilégio de ser avó – Como mãe e avó, Loíde colocou  Deus em primeiro lugar em sua vida. O amor dedicado ao Senhor levou a transformação ao seu neto Timóteo que  se tornou um jovem cristão e pastor.

3. Exercendo a influência- Não no muito falar, mas vivendo. A influência mais forte é a do exemplo. É irracional uma geração ser contenciosa, e desejar uma nova geração pacificadora. Conta-se que o pai antes de chegar do trabalho, entra num bar e toma um trago. Certo dia percebeu que alguém o seguia. Encabulado olhou para trás. Era seu filho mais novo que sorridente exclamou; “ papai sou eu! estou seguindo suas pegadas!”.Frequentemente cobramos dos adolescentes e dos jovens, fidelidade e compromisso mas não exercemos ações definidas para treiná-los nos trabalhos da igreja. Nossa comunicação com eles não funciona, não gastamos tempo orando por eles e não damos oportunidades e quando damos queremos que façam do nosso jeito.

Finalmente, o lugar da nova geração na Igreja do Senhor precisa ser clara, e muito bem definido. Seu valor precisa ser estabelecido e amplamente conhecido. Precisamos planejar e executar ações se não perderemos esta geração e a igreja de Cristo perderá força para a continuidade do cumprimento de sua tarefa como agencia do reino de Deus aqui na terra.

Neste tempo em que a igreja passa por várias transformações, na qual “quem viver verá ”, quem e como será sua igreja no amanhã? Ouvimos a expressão de uma mãe: ”este menino (adolescente ) não tem mais jeito! Pau que nasce torto morre torto. Esta expressão é a tentativa de explicar alguns dos comportamentos humanos.  Lemos uma  experiência de uma aula de biologia,  através de uma figura  do reino vegetal. Colocamos uma plantinha numa caixa de sapato com um pequeno furo lateral e observamos que ela iria crescer em direção a luz que vinha do orifício. Algumas vezes vocês gostariam que o caule de uma linda  orquídea crescesse reto, mas por alguma razão ela perde a direção e temos uma planta torta. Você já reparou nas árvores que crescem à beira mar? Elas estão sempre inclinadas na direção do vento! Voltemos à plantinha. Ela está crescendo e de repente percebemos que está perdendo a direção. O que fazer? Em 1º. lugar devemos estar atentos ao seu crescimento. Quanto mais cedo percebermos o desvio, mais fácil será realizar a correção. Em 2º. lugar, podemos usar o artificio do caule-guia: colocamos uma madeira reta ao lado da plantinha e com o auxílio de um cordão amarramos a planta na madeira. Resolvido o problema do caule de sua plantinha, ela segue a direção do caule –guia. Faremos a seguinte imaginação: Sua vida é a plantinha que você plantou; sua carreira é a plantinha que você semeou. Seu casamento é a plantinha que vocês plantaram. Os nosso filhos pequenos são a plantinha–filha que você cultivou. Como estão? Nossos jovens e adolescentes são a plantinha que cresceu e frutificou? 

Mães, pais, avós, tios e líderes são os ramos que a plantinha espalhou. A solução continua sendo o uso do caule-guia: a Bíblia. Ser amarrado não é uma solução ou uma experiência agradável, porém, uma vez ou outra é necessário. E lembre-se! Pau que nasce torto não tem que morrer torto. Logo,  a nossa geração empenhada na tarefa de valorizar e cuidar da nova geração, usando sempre a palavra de Deus, terá todas as orientações que esta nova geração precisa receber.

Júnia Araújo de Lima –  Presidente da UFMB-MS

 

Anderson Solano

Anderson Solano

Publicitário, chefe do departamento de comunicação social e gestor de TI.

0 comentários

Enviar um comentário

Posts Recentes

× Como posso te ajudar?