Memórias da 66ª Assembleia da CBSM

por ago 24, 2012Notícias0 Comentários


Chamados para
construir a história

Lucia Morel

O chamado de Cristo para todos os cristãos começa na mudança de vida, com novas escolhas e atitudes. A partir disso, pode-se então trilhar o caminho de unidade e paz entre irmãos e entre as igrejas. A 66ª Assembleia da Convenção Batista Sul-Mato-Grossense teve como premissa unir o povo de Deus participante nesse sentido.

Conhecer o chamado que cada um possui passa pelo reconhecimento de que cristãos precisam caminhar unidos como um corpo e nisso se baseou a mensagem dos quatro dias de assembleia, cuja preleção foi do pastor Jeremias Alves Evangelista Tércio, da Igreja Batista de Mont´serrat, de Porto Alegre (RS).

Sob o tema, “Chamados para construir a história, em unidade e paz”, o preletor oficial chamou atenção, no primeiro dia de assembleia, 6 de junho, para II Crônicas 7, exortando ao quebrantamento.

A responsabilidade social da igreja, de mudança do mundo através da santidade, foi o foco da mensagem. “A igreja deve se render diante de Deus para que Ele possa sarar a terra”, disse o pastor, mostrando que somente o coração humilhado da igreja diante do Pai pode fazer as transformações que o mundo e as pessoas precisam.

Numa mensagem voltada aos pastores e ministros batistas, o preletor destacou que “como ministros do evangelho é necessário orar para que Deus toque em nossas feridas e mude a realidade como igreja e depois através dela, mudar o mundo em decadência. Deus tem que agir em nossas vidas para depois pedir que Ele sare nossa nação”.  

E não parou por aí. Em uma mensagem que enfatizou a necessidade de que os líderes da igreja sejam a mudança viva, o pastor Jeremias destacou que “o mundo precisa de chamados autênticos, a começar pelas vidas dos seus lideres e pastores”.  E ainda ensina como chegar a essa autenticidade: relacionamento íntimo e honesto com Deus; ler a Palavra e, por fim, permitir que outros acompanhem o processo de cura e restauração.

O segundo dia de atividades teve a palavra em Marcos 1 a 3. O foco da mensagem foi permanecer em Cristo, sabendo que somente assim as igrejas e o mundo poderão ser transformados. O pastor Jeremias ressalta que “todos pecaram”, mas que há o perdão e por isso a obra de Cristo permanece até hoje. Ele ressalta que “Deus não pode mudar a história sem um trabalho árduo dos seus servos”.

A palavra produzir também esteve presente a todo o momento, lembrando pastores e presentes da necessidade de produzir frutos para o Reino. “A igreja vai produzir mudando a história somente quando entendermos que o pentecostes é para nós. Quando entendermos que durante a vida inteira, deveremos produzir, perseverando e cumprindo o que recebemos de Deus”.

Mais que receber de Deus, o povo de Deus deve “produzir esperando do Senhor a recompensa, só assim vamos ver grandes coisas do Senhor sobre nós. Não podemos produzir separados de Cristo. Ele mesmo diz, pois quem vive nele, produzirá muitos frutos”. E esses frutos apenas vão crescer se houver permanência. “Sem permanecer podemos quebrar a igreja. Precisamos ouvir a voz de Deus e seguir ouvindo a voz do Espírito. Permanecer antes de produzir e produzir permanecendo Nele”.

Jornalista e membro da PIB, Campo Grande (MS)

Anderson Solano

Anderson Solano

Publicitário, chefe do departamento de comunicação social e gestor de TI.

0 comentários

Enviar um comentário

Posts Recentes