Escrevendo a história dos batistas

por dez 9, 2010Notícias0 Comentários

Escrevendo a história dos batistas sul-mato-grossenses

Gostamos de História, tanto da Eclesiástica, quanto da secular, pois a História sempre tem algo a nos ensinar. Inclusive a Bíblia nos diz que a História pode nos servir de advertência (1Co 10.11). Também nos diz o ditado popular que “um povo sem História é um povo sem memória”. Então, nada mais justo e certo relatar a nossa História, sendo que é isto que estamos fazendo há vários meses.

Procuramos ver as nossas raízes que surgem no início do século XVII, embora haja os que advogam a teoria de grupos fiéis desde a igreja primitiva. Mas destacamos o que há documentado, movimento que se inicia na Inglaterra, com migração para a Holanda e depois para os Estados Unidos, de onde se espalha para grande parte do mundo, incluindo o Brasil, aonde chega em 1871, com os primeiros colonos batistas que, derrotados na Guerra de Secessão, nos Estados Unidos, vem ao Brasil para aqui buscarem um novo início em suas vidas e propriedades, atingidas na guerra civil americana.

Destacamos os primeiros missionários, suas atividades, a firmeza doutrinária, e o empenho nas mais diversas áreas, procurando levar o evangelho às terras mais longínquas, chegando ao então Estado de Mato Grosso, em 5 de agosto de 1911, através do missionário americano, A. B. Deter, que organizou a Primeira Igreja Batista em solo mato-grossense, em 20 de agosto de 1911, a PIB de Corumbá.

De lá para cá, quase 200 igrejas batistas foram organizadas em nosso Estado. E estamos procurando contar a História de cada uma. E é neste ponto que gostaria de fazer um apelo todo especial ao leitor para que veja se a sua igreja já enviou o histórico dela, para que seja incluída no livro, pois o nosso objetivo é não deixar nenhuma igreja fora. Mas para isso, dependemos da colaboração de cada igreja que, certamente, tem algo bom para contar.

Também estaremos contando a nossa História no campo da Educação Teológica, das atividades das mulheres e dos homens batistas, da Junta de Serviço Social, da juventude, dos que se destacaram em nosso meio, dos missionários, dos pioneiros, de fatos marcantes, etc.

Queremos desafiar o leitor a interceder por este trabalho, contribuir com informações que possam ser incluídas no Livro do Centenário dos Batistas Sul-mato-grossenses e ver também se a sua organização/instituição já colaborou enviando o seu material histórico, pois isso é fundamental para nós, pois dependemos da ajuda de todos.

Ainda queremos destacar que estamos tendo uma substancial ajuda do jornalista Othon Ávila Amaral, do Rio de Janeiro, que está pesquisando exemplares de “O Jornal Batista”, dos anos de 1912 e 1913, que tratam do trabalho batista em Corumbá e de outros municípios em nosso Estado, tratando-se de informações não conhecidas em nosso meio.

Também agradecemos ao pastor Inaldo Almeida Borba, que nos emprestou o livro “Semeando a Boa Semente”, que é uma autobiografia do primeiro pastor batista mato-grossense ordenado em nosso Estado, João Gregório Urbieta, filho do pastor Selidônio Urbieta, que foi o primeiro pastor da Primeira Igreja Evangélica Batista de Campo Grande.

Assim, todos podemos contribuir com nossa História: Intercedendo, fornecendo material e, principalmente, nos conduzindo de uma forma digna do evangelho de Cristo, pois, atualmente, somos nós os protagonistas de nossa História.

Pr. Carlos Osmar Trapp
*Responsável pela compilação da História dos Batistas Sul-mato-grossenses

Administrador

Administrador

0 comentários

Enviar um comentário

Posts Recentes